Vivendo o folclore – Parlenda – Escatumbararibê

Objetivos:

  • Criar estruturas rítmicas e sonoras adaptadas à rítmica das palavras de uma parlenda.
  • Criar movimentos com o corpo acompanhando a leitura da parlenda.

Material necessário:

  • Parlenda “Escatumbararibê”
  • Voz, corpo;
  • Objetos sonoros disponíveis;
  • Quadro branco ou de giz;
  • Folhas de papel

Parlenda – versos rimados falados com ritmo bem marcado. Geralmente não têm música e quando a têm , a melodia é simples. É brincadeira de iniciativa das próprias crianças.

Desenvolvimento :

  • Questionário que seja uma parlenda.
  • Dividir a turma em 2 grupos.
  • Distribuir a letra da parlenda para cada grupo.
  • Explorar as diversas formas de leitura da parlenda.

Ler:

  • Lentamente;
  • Acelerando;
  • Para alguém que está distante (forte);
  • Para alguém que está perto (suave);
  • Sussurrando;
  • Como se fosse dentro de uma caixa;
  • Com a voz grave;
  • Com a voz bem aguda.

Obs.: não há uma única maneira correta de se ler o texo. Ao explorar cada item citado, o professor estará usando os conteúdos do som: altura, intensidade, timbre, duração.

  • Estabelecer (por cada grupo) uma forma de expressar oralmente a parlenda.
  • Fazer uma marcação (usando palmas, tambor, chocalhos, etc) que passará a ser o pulso sobre a qual a leitura será feita.

Obs.: Pulso é uma unidade de medida constante que poderá ser: lento, moderado ou rápido.

  • Manter (todos juntos) em “ostinato” a leitura dos versos da parlenda dentro da pulsação rítmica estabelecida anteriormente. Sobre este “ostinato”, o professor canta a melodia da parlenda. O “ostinato” continua e gradativamente os alunos juntar-se-ão ao canto do professor.

Obs.: “Ostinato” é uma palavra italiana que quer dizer repetição contínua, obstinada. Na presente atividade, significa repetir quantas vezes for necessário. Passa-se gradativamente da menor densidade da melodia para maior densidade, em relação ao “ostinato”. Isto não significa maior intensidade (força do canto).

  • Improvisar livremente sobre o canto da parlenda (com a voz, com o corpo, com objetos que produzam sons)

Obs.: A improvisação poderá ser rítmica e/ou sonora por um ou mais alunos, usando fragmentos da letra fonemas, sílabas que poderão ser reordenadas, como no exemplo:

Auê, Auê

Sassá, Sarubê

Tumba, Tumba.

  • Falar alternativamente frases do verso(cada grupo respectivamente ) dentro de um pulso regular, como pergunta e resposta.
  • Fazer a leitura da parlenda de forma ritmada criando simultaneamente movimentos com o corpo
  • Realizar as diversas partes da atividade, conforme a sugestão de um aluno, que poderá ser o regente.

Obs.: Surgirão ordenações diversas, resultantes da linearidade (sequência das partes) e da simultaneidade (cruzamento das partes).

Integração com o Português: produção de texto, de palavras fonemas, jogando a rítmica e a sonoridade. O professor deve usar a parlenda adequada a cada grupo, em função de seu interesse e da faixa etária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *