Um pé de que? Um pé de livros

Nos dias atuais tornou-se evidente o entendimento de que a leitura se faz necessária para que a criança, como ser social, tenha uma visão de mundo mais ampla. Contudo, a habilidade de ler (decodificar código linguístico) ou de estar alfabetizado não garante ao indivíduo a verdadeira função da leitura, tão pouco, garante o papel que ela (leitura) deveria ter na vida dele na sociedade, enquanto leitor.

O aluno ao chegar a escola, trás consigo uma carga expressiva de conhecimentos que os professores devem utilizar como ponte para a construção de novos conhecimentos, tornando o processo de ensino aprendizagem um processo mútuo de troca de conhecimentos.

“É através de uma história que se pode descobrir outros lugares, outros tempos, outros jeitos de agir e de ser, outras regras, outra ética, outra ótica…É ficar sabendo história, filosofia, direito, política, sociologia, antropologia, etc. sem precisar saber o nome disso tudo e muito menos achar que tem cara de aula.” (ABRAMOVICH, 1997, p.17)

Neste sentido, a Literatura Infantil pode ser um instrumento pedagógico extremamente relevante durante todo o período que antecede um processo formal de que a leitura influencia a criança na sua aprendizagem tornando-a leitor da sua realidade, ouvindo diariamente histórias ela fará comparações, descobertas e vai compreendendo o mundo em que está inserida.

A imagem na literatura infantil deve ser oferecida a todas as crianças, mesmo que a criança não conheça a escrita deve ter contato com livros e no decorrer da sua vida irá adquirir o hábito da leitura, pois as imagens fazem com que as crianças que não lêem, tenham contato com o livro e com o mundo da leitura, elaborando conceitos sobre o mundo e sua própria vida. Segundo Castro (2005, p. 27) a leitura

[…] possibilita um crescimento sadio, um enriquecimento permanente, integra-se no mais alto espírito de uma prática democrática enquanto investe numa produção séria do conhecimento, sua prática exige a participação franca, criativa, livre, crítica, promovendo a integração social e tendo em vista o forte compromisso de transformação e modificação do meio.

Neste sentidoo ato de ler não visa só a formação acadêmica da criança, mas a sua formação como cidadã, trabalhar com formação do leitor passa inevitavelmente pela leitura de livros, de imagens e do seu cotidiano com seu acervo cultural, que lhe dará visão de mundo.

Objetivo geral:

Despertar, incentivar e promover a leitura visando a formação do caráter do leitor no educando, a melhor qualidade do ensino-aprendizagem e o desenvolvimento social e cultural, oportunizado ao aluno expressar desejos, pensamento e sentimentos através da interação com a literatura infantil, a fim de despertar nas crianças o estímulo e o gosto pelos livros desde os primeiros anos de vida.

Objetivos específicos:
  • Ampliar o repertório literário;
  •  Manusear diferentes tipos de livros;
  •  Fazer escolhas de livros para leitura e apreciação;
  •  Conhecer diferentes gêneros literários orais e escritos;
  •  Incrementar a leitura no âmbito escolar;
Desenvolvimento:

Essa atividade foi realizada no dia 11 de agosto em uma turma com 14 alunos na faixa etária de 7 a 8 anos de idade, segundo ano “B” matinal, na EMEIF Luciano Freire de Farias localizada a Rua Virgílio Silva S/N, Piancó-PB.

No 1º momento foi realizado uma roda de conversa como objetivo de descobrir os conhecimentos prévios dos alunos em relação ao hábito de leitura.

No 2º momento as crianças foram levadas até o pátio da escola onde encontraram muitos livros dispostos em uma árvore, presos a ela por um barbante de forma que as obras literárias parecessem frutos dela. Tinha livros espalhados pelo chão, uns estavam pendurados bem baixo e outros nem tão baixos assim. Quanto mais alto estava o livro, mais as crianças tinham vontade de pegá-lo e folheá-lo… Devorá-lo.

O momento mais emocionante da aula foi quando as crianças saíram da sala e se depararam com aquela cena. Foi perguntado para as crianças: “-O que vocês estão vendo?” Todos responderam em uma só voz: “-Um Pé de Livros”. As crianças nesse momento ficaram livres para manusear os diferentes tipos de livros. Livros com muitas gravuras ou com poucas gravuras, com muitas páginas ou com poucas, livros mais pesados e livros mais leves.

No 3º momento, as crianças foram orientadas a escolher o livro que mais gostaram. Após a escolha do livro, todos se sentaram e fizeram sua primeira leitura da obra. Uma das crianças, gostou tanto de um dos livros, que não queria dividi-lo com as demais e gerou um pequeno desentendimento entre elas. Nesse momento, foi preciso a intervenção da professora, foi oportuno conversar com os pequenos sobre a importância do companheirismo e o compartilhamento das nossas coisas e das coisas públicas.

O 4º momento foi a hora da socialização da leitura previamente feita pelas crianças. Elas, uma a uma, apresentam a obra que escolheu, com a ajuda da professora exploram os elementos visuais da capa do livro e apontam o que gostaram no livro e se indicariam o livro para os outros colegas lerem. Apos a leitura dos títulos dos livros escolhidos por cada aluno, as crianças fizeram uma votação para escolher livro que seria lido mais pela professora. A obra escolhida democraticamente foi o livro Pinga, Pingo, Pingado da autora Alice Luttembarck.. No 5º e ultimo momento, um voluntário se disponibiliza a fazer a leitura do livro escolhido por ele para deleite da turma.

Resultados obtidos

Nessa atividade, as crianças compreenderam e compartilharam valores adquiridos através da leitura e do manuseio dos livros. Entenderam a importância do hábito de leitura no seu dia a dia, como forma de ampliação de leitura de mundo. As crianças descobriram que pequenos atos, como fechar bem uma torneira, por exemplo, podem fazer a diferença e trazer grande colaboração para uma vida melhor. Este trabalho deve ser indicado para todas os professores que desejam desenvolver e estimular em sues alunos o gosto e o prazer de ler.

Toda criança que lê e tem acesso a livros tem maior facilidade em aprender e conhecer o mundo; a leitura facilita a compreensão dos conteúdos estabelecidos, traz benefícios para toda a comunidade escolar, pois quanto maior for o entendimento e conhecimento, mais poderá o professor avançar e aguçar a curiosidade dos alunos, para que busquem as suas respostas nos livros, utilizando-os como instrumentos de pesquisa.

Com a realização desta atividade foi possível compreender, que a leitura é a compreensão e interpretação do texto lido e não meramente uma decodificação de símbolos, mas que as duas concepções estão ligadas uma a outra. A leitura possui diversos processos e estágios, entre eles a relação com os sentidos, sensorial e racional do indivíduo. A leitura faz-se presente no cotidiano de todos os leitores.

Referencias:
  • ABRAMOVICH, Fanny. Literatura infantil: gostosura e bobices. 5.ed. São Paulo: Scipione, 2006.
  • CASTRO, Silmara. A. B. O resgate da ludicidade e a importância das brincadeiras, do brinquedo e do jogo no desenvolvimento biopsicossocial das crianças. Universidade Estadual de Campinas, departamento de Educação, Curso de Pedagogia. Campinas – São Paulo. 2005. 10

Ana Maria Rodrigues – formanda em Pedagogia pela UFPB,  leciona na turma do 2º ano “B” matinal   da EMEIF Luciano Freire de Farias na cidade de Piancó-PB, é professora há mais de 16 anos.  Trabalhou com a EJA como professora e coordenadora de turmas. Atualmente, visando a educação inclusiva, está participando do Curso de Multiplicadores do DOSVOX e curso de Diversidade Cultural Religiosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *