Quando a escola entra em campo de forma assertiva

Em ano de Copa torna-se impossível desenvolver projetos e/ou sequências de atividades que fujam do assunto. Em nosso país o futebol mobiliza: o brasileiro para, vibra, debate e chora.

Levando em consideração que a pedagogia de projetos parte dos interesses e necessidades dos alunos, a Copa do Mundo, sem dúvidas, é um tema rico em possibilidades. Devemos aproveitar toda essa mobilização para dar mais sentido às aulas, trabalhando de forma interdisciplinar e abordando temas atuais e transversais como: Pluralidade Cultural, Meio Ambiente, Saúde, Trabalho e Consumo, o que permitirá que as crianças descubram diferentes culturas, conheçam várias etnias, valorizando-as e respeitando-as.

 Para tanto, é fundamental:
  • Repudiar a discriminação baseada em diferenças de raça, religião, classe social, nacionalidade e sexo.
  • Estimular a pesquisa, fazendo com que os alunos busquem curiosidades e informações sobre os países participantes da Copa.
  • Identificar as regras disciplinares que envolvem a organização do time e comparar com as regras do dia a dia, na escola e Sociedade.
  • Desenvolver o senso crítico em busca de soluções a curto e longo prazo, usufruindo da competição para promover reflexões, interpretações e argumentações.
  • Explorar diferentes meios de comunicação, levando jornais, revistas, músicas, filmes, noticiários e internet para sala de aula.
  • Aproveitar a oportunidade para que as crianças lidem com a frustração – o ganhar e o perder, encarando como fato natural. Muitas vezes aprendemos mais com as derrotas do que com as vitórias.
  • Valorizar o espírito de equipe nas atividades propostas.

É urgente colocar sentimento e esperança, ousadia e inovação, entusiasmo e paixão no ato de educar. Por isso, basta usar a criatividade e o projeto Copa do Mundo envolverá a comunidade, desenvolvendo a construção de conhecimentos pautados na vida real.

Nos projetos, os professores e alunos interagem na organização dos conhecimentos, eles aprendem juntos. Os alunos situam-se diante da informação a partir de suas próprias possibilidades e recursos. O aluno descobre que não se aprende somente na escola e que o professor não é dono da verdade absoluta e que aprender pode ser muito divertido.

 “Projeto Copa do Mundo” 

Para mais dicas adquira a sua!


Paty Fonte (Patricia Lopes da Fonte)

Educadora especialista em pedagogia de projetos, escritora, autora dos livros “Projetos Pedagógicos Dinâmicos: a paixão de educar e o desafio de inovar” e “Pedagogia de Projetos – Ano letivo sem mesmice”, ambos publicados pela editora WAK; autora e tutora de cursos presenciais e on-line de educação continuada a docentes, coach, palestrante.

Idealizadora e diretora dos sites: www.projetospedagogicosdinamicos.com e www.cursosppd.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *