Projeto Luiz Gonzaga

Luiz Gonzaga não morreu / Nem a sanfona dele desapareceu“…

Nascido em 1912, o filho mais ilustre da cidade de Exu, no sertão pernambucano, ganhou o Brasil e difundiu a música nordestina: o forró nas suas mais diferentes variações como baião, chamego, xaxado, xote e o coco.

Em homenagem aos 30 anos de sua morte, vale relembrar o projeto que levou ao conhecimento das crianças a riqueza e diversidade das músicas do rei do baião. Elaborado pela professora paulista Luana Oliveira Cepriano com sua classe de Educação Infantil, alunos na faixa de 5 anos.

Através do projeto foi possível mostrar às crianças variadas manifestações folclóricas, hábitos e costumes, crenças e valores do modo de viver do povo nordestino.

Entusiasmada com o resultado a professora relata:“Iniciei as atividades falando um pouco sobre o cantor, sobre sua história de vida, deixando sempre que os alunos se expressassem livremente e comentassem durante o processo da aula. Senti a turma muito interessada o que me possibilitou aprofundar mais nos assuntos.”

Tendo como principal objetivo conhecer a vida e a obra de Luiz Gonzaga no contexto da história da música popular brasileira, Luana apresentou o cantor para turma através de fotos, vídeos e músicas.

Dentre as variadas canções escutadas pelos alunos, Asa Branca foi escolhida para confecção de um álbum da classe. Através da canção muitos assuntos foram abordados, como: o sertão, a seca e a necessidade da água para o ser humano.

Em cada página do álbum uma estrofe da música, o que possibilitou desenvolver na roda de conversas uma interpretação mais profunda. Para o registro das páginas foram utilizados diferentes materiais e variadas técnicas artísticas. Outra preocupação foi que as crianças pudessem realizar as atividades de maneira autônoma e expressando sua personalidade.

Apesar de aparentemente simples o projeto encantou Luana que enfatiza: “Sou apreciadora da música nordestina e trazer uma cultura tão importante do nosso país e tão pouco lembrada atualmente para dentro da sala de aula, me faz sentir uma professora consciente do papel atualmente como educadora.”

O grande desejo da professora é que relatando o sucesso de seu trabalho inspire outros profissionais a também levarem a cultura brasileira, em toda sua amplitude, para dentro das salas de aula, assim mantendo-a viva e valorizada.


Profª Luana Oliveira Cepriano – Formada em Magistério pela CEFAM – ITAM BIBI- SP. Cursando Pedagogia na Uninove. Professora de Educação Infantil na Escola de Educação Infantil Dallaquinha localizada em Interlagos – São Paulo.

Matéria de: Paty Fonte


Envie-nos também o relato do seu projeto de sucesso: contato@ppd.net.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *