Projeto Férias de Verão

Chegaram as férias de verão as aulas terminaram, nem sempre as férias das crianças coincidem com as dos pais e ainda que coincidam nem sempre temos o que fazer com os pequenos diariamente.

Qual seria a melhor opção para quem não pode realizar uma grande viagem ou não sabe como proporcionar férias divertidas para todos? Algumas famílias contam com a ajuda dos avós ou os pais procuram tirar férias nesse mesmo período, outras não conseguem um plano B. Não podemos esquecer que as férias escolares são previstas com antecedência e por isso podemos planejar o que fazer com nossos pequeninos para tornar esse período prazeroso e não um grande problema para ambos.

Uma grande opção são a colônias de férias oferecidas por muitas escolas, dessa forma unimos diversão e aprendizagem. Além de ser uma verdadeira ocupação dos tempos livres, as colônias de férias também pretendem ir além da diversão, tendo quase todos eles uma componente lúdica e educacional

Vamos sugerir um Projeto para desenvolvermos uma colônia de férias onde a escola seja um espaço de criatividade e prazer.

 JUSTIFICATIVA

A diversidade de atividades cria uma perspectiva da aprendizagem que irá acontecer em meio a atividades que seduzem as crianças. Além disso, as crianças terão oportunidade de se socializar como outras crianças, de diferentes faixas etárias, simultaneamente trabalharão o intelecto, o físico, o emocional, dessa forma desenvolverão todas as suas potencialidades por meio de atividades orientadas que irão incluir música, oficinas de artes, origami, brincadeiras e jogos livres e dirigidos.

 OBJETIVO GERAL
  • Oferecer atividades lúdicas que favoreçam o desenvolvimento integral e divertimento objetivando o desenvolvimento integral de cada um, atendendo as necessidades das crianças e de seus pais durante as férias escolares.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  • Desenvolver as diferentes linguagens verbais e não-verbais;
  • Promover a socialização;
  • Desenvolver atividades que estimulem a criatividade e a imaginação;
  • Ampliar a percepção e o gosto musical;
  • Realizar brincadeiras, jogos, passeios, promovendo a recreação por meio de brinquedos e brincadeiras.
 METODOLOGIA
  • Desenvolver atividades ao ar livre, passeios, visitas a parques e museus.
  • Desenvolver contação de histórias.
  • Utilizar a música como forma de expressão.
  • Assistir filmes com sessão pipoca.
  • Criação de brinquedos pelas próprias crianças.
  • Criação de maquetes.
  • Teatro de fantoches criados junto com as crianças.
  • Recorte e colagem, massa de modelar, pintura a dedos.
  • Massa feita com as crianças.
  • Promover um acampamento na própria escola.
  • Confecção de uma refeição coletiva.
  • Utilizar jogos e brincadeiras para desenvolver o raciocínio lógico.

OBS: As atividades deverão ser todas preferencialmente realizadas em conjunto com as crianças, com a participação de todas, separadas por faixa etária quando for preciso. O principal objetivo deve ser a socialização e o entretenimento de todos os envolvidos.

DICA DE DINÂMICA

Passando a bola

Gênero: Comunicação e Comunicação não verbal

Objetivo: Desenvolver a comunicação, atenção e raciocínio lógico

Número de Participantes: de 10 a 30 integrantes

Material: 1 Bola pequena (se os integrantes forem adultos a bola pode ser de tamanho normal)

Desenvolvimento:

O professor arruma o grupo em círculo, todos de pé, o professor deverá participar da dinâmica.

Explica ao grupo que a bola será passada de mão em mão, existindo uma lógica para a passagem da bola ao colega ao lado. Os participantes terão que descobrir qual a lógica e não poderão alertar os demais ao descobrirem.

Ele passa a bola pela frente ao colega a sua esquerda e explica que a bola será passada alternando pela frente e por traz do colega ao lado e assim sucessivamente. A lógica, porém, não estará na passagem da bola e sim na posição das pernas de quem passa a bola. Sempre que a bola for passada pela frente a pessoa ela deverá afastar as pernas, quando passar a bola por traz deverá manter as pernas juntas. Ao passar a bola ela fala ao colega “frente” e passa a bola pela frente e ao passar a bola por trás ela fala “atrás”. Feito isso o professor inicia a passagem da bola fazendo exatamente como explicou. Ao passar a bola pela frente ele fala, frente e mantém as pernas afastadas uma da outra. E o do lado deverá passar a bola por trás do seu corpo e falar – atrás- ao passar deverá manter as pernas juntas. O professor irá falando – certo ou errado – de acordo com a posição das pernas das pessoas que estarão passando a bola. O primeiro colega ao lado do professor deverá ser instruído quanto a posição das pernas ao passar a bola por ser o primeiro a fazer o movimento.

Os participantes ficarão sem entender quando a bola for passada corretamente e o professor falar – errado. O professor deverá ir alertando aos participantes que observem todos os movimentos da pessoa que estiver de posse da bola e não somente a passagem da bola.

A atividade termina quando todos souberem a lógica da atividade.

 Fechamento: O grupo deverá discutir as dificuldades encontradas durante a atividade e expor as razões que os levaram a descobrir a “lógica” do exercício.

Variações: Podemos executar movimentos diferentes, como em cima, embaixo. Utilizar objetos diferentes, e lógicas diferentes. De acordo com o grupo o grau de dificuldade pode ser aumentado.

Aproveitamento:

Aproveitando a dinâmica podemos desenvolver além de atenção, raciocínio lógico, comunicação não verbal, outros aspectos cognitivos como:

  • Esquema corporal
  • Lateralidade
  • Percepção espacial
  • Coordenação motora
RECEITA DE MASSA DE MODELAR

Seus alunos adoram brincar com massa de modelar? Que tal se, além de exercitarem sua criatividade brincando, eles aprenderem a fazer sua própria massa de modelar?

A receita que lhe damos é fácil e não custa caro. Pode ser feita em casa ou na sala de aula. É bom que as crianças vistam um avental ou uma roupa que possa sofrer os respingos de tinta e os banhos de farinha que são inevitáveis.

Vamos aos ingredientes:

  • 1 xícara farinha de trigo
  • ½ xícara sal
  • ½ xícara água
  • ¼ xícara vinagre
  • ¼ xícara guache.

E ao modo de fazer:

Misture a farinha de trigo com o sal. Aos poucos, vá acrescentando a água e o vinagre. Por último, acrescente a tinta guache. Se preferir, divida a receita ao meio e use duas cores de tinta guache, uma para cada porção de massa. Não se esqueça que ao dividir a receita ao meio, a quantidade de tinta também deve ser proporcional. Amasse tudo muito bem, até obter uma massa lisa.


Diva Maranhão – Pedagoga, psicopedagoga e pós-graduada em Metodologia do Ensino Superior. Professora de pós-graduação e professora autora de cursos de pós-graduação à distância, possui vasta experiência como professora, gestora escolar e gestora de projetos, além de autora e palestrante. Autora do livro: Ensinar Brincando – A aprendizagem pode ser uma grande brincadeira. WAK Editora.

Contato: 2012ead@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *