Olfato e paladar

A forma de ação desses sentidos é semelhante. O odor não passa de partículas que se desprendem da substância e ativam as células olfativas, o mesmo ocorrendo com o paladar. As substâncias em contato com a saliva desprendem partículas e estimulam as papilas gustativas da língua que enviam impulsos nervosos ao cérebro e este interpreta tais sensações.

O olfato tem importante papel na distinção dos alimentos, trabalhando junto com o paladar para fornecerem ao cérebro informações a respeito de comidas e bebidas. Enquanto mastigamos, sentimos simultaneamente o paladar e o cheiro.

O olfato tem uma nítida vantagem em relação ao paladar, não necessita do contato direto com o objeto para que haja excitação, conferindo maior segurança e menor exposição a estímulos lesivos.

O sentido do olfato á mais forte que o paladar. Os seres humanos conseguem diferenciar cerca de 20 mil tipos de odores diferentes (cada um deles, em dez diferentes graus de intensidade), mas apenas 100 tipos de gostos.

Cerca de 80% do que nossos sentidos percebem como gosto de um alimento é na realidade, seu aroma. Por esta razão, quando temos uma gripe ou resfriado e o nariz fica “entupido”, os alimentos perdem grande parte do sabor, por não podermos sentir seu cheiro.

Outros estímulos, como a sensação de ardor e calor produzida pela pimenta, a sensação do frio produzida pela menta, assim como a textura e a temperatura, também contribuem para o sabor dos alimentos.

Sugestões de Experiências

Público alvo: Alunos do 3º ou 4º ano do Ensino Fundamental.

Objetivo: Perceber que os sentidos do olfato, visão e paladar estão intimamente ligados.

Questão desencadeadora: para sentir o sabor dos alimentos é necessário somente o paladar ou outros sentidos também? Quais?

Hipóteses: poderão surgir:

  • Só o paladar
  • Outros sentidos também: visão, audição, olfato, tato.

Material necessário:

  • 1 pano para vendar os olhos.
  • 4 tipos diferentes de suco de frutas enumerados de 1 a 4.
  • 1 copo grande de água.
  • 4 copos pequenos enumerados de 1 a 4.

Procedimento:

  • Coloque no copo 1 uma pequena quantidade do suco 3; no copo 2 o suco 1; no copo 3 o suco 4 e no copo 4 o suco 2.
  • Faça seu amigo tapar o nariz e provar cada um dos sucos. Ele deverá dizer de qual fruta é feito cada suco. Lavar a boca com água após cada prova.
  • Você registra os sabores que ele sentiu e os sucos correspondentes na tabela abaixo.
  • Repita o procedimento, mas agora o amigo deverá estar só com os olhos vendados para provar novamente cada um dos sucos na mesma ordem.

Resultado: Cada dupla de alunos preencherá a seguinte tabela registrando os sabores percebidos em cada situação:

Conclusão: espera-se que os alunos percebam que para melhor reconhecer um sabor, precisamos do olfato, além do paladar.

Questão desencadeadora: Pode haver troca de sentido, ou seja, você pode comer um alimento e sentir o gosto de outro, se estiver sentindo seu cheiro?

Hipóteses: poderão surgir – sim, não e às vezes.

Material necessário:

  • Venda para os olhos;
  • Uma cebola crua em pedaços pequenos;
  • Chocolate, batata ou maça, em pedaços pequenos.

Procedimento:

  • Colocar a venda nos olhos do degustador (um aluno). Segurar um pedaço de chocolate aproximado ao nariz do degustador e dar um pedaço de cebola para que ele coma. Perguntar o que ele está comendo.
  • Em seguida, inverter os alimentos (cheirar a cebola e comer o chocolate).
  • Repetir o experimento algumas vezes, trocando aleatoriamente os alimentos.

Importante: O degustador deverá saber quais são os alimentos utilizados na experiência.

Resultados: Os alunos deverão registrar os resultados das observações.

Conclusão: Após discussão coletiva sobre os resultados observados, os alunos deverão registrá-los.

Informações ao professor:

É natural que se confunda o sabor do que se experimenta com aquilo que está cheirando, devido ao olfato ser mais forte que o paladar nos seres humanos.O professor deverá levar o aluno a relacionar a troca de sentidos do experimento com a perda do paladar quando estamos gripados ou resfriados.

Fonte de pesquisa e dicas bibliográficas:

  • SILVIA, J.T. Troca de sentidos. Rio de Janeiro, Revista Ciência Hoje das Crianças, v.15, n.130,p.20-21, nov, 2002.
  • TOMITA, Rúbia Yuri. Atlas Visual do Corpo Humano. São Paulo: Rideel, 1995.
  • RAMOS, Adriana & SOUZA, Mônica de. Olfato e Paladar, São Paulo:FTD (Coleção Raio X).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *