Literatura e Geografia – Dicas de atividades

Na vida real, cada pessoa se identifica com o seu lugar de nascimento. Neste contexto, a literatura amplia as fronteiras para além dos limites político-administrativos. Migrações, fronteiras, identidades, território e expressões culturais são algumas das questões abordadas no entrecruzamento das perspectivas geográfica e literária. Muitas obras literárias contêm alusões ao espaço geográfico.

O diálogo da literatura com a geografia não se esgota na imagética do espaço humano e/ou natural nem nos contextos e referências literários – urbanos ou rurais, regionais ou nacionais, naturais ou artificiais. Ele existe também através de princípios estéticos, políticos e sociais que se referem a e lembram a terra, o lugar e o espaço.

Algumas obras literárias descrevem e explicam a interação entre os processos produtivos e a natureza, como elas ajudaram a construir a identidade da região.

Dica 1

Os textos do escritor Machado de Assis são excelentes para seus alunos compreenderem como viviam os cariocas do século XIX e do início do século XX.
Após leituras de trechos selecionados, peça que seus alunos desenhem as cenas descritas pelo autor. Peça, também, uma pesquisa de imagens atuais sobre os lugares citados nos trechos.
Depois, indague-os sobre as relações que podem estabelecer entre os costumes descritos por Machado de Assis e os costumes atuais dos cariocas (o que mudou e o que permaneceu).

Dica 2

Escolha algumas obras (ou trechos delas) para que sejam analisados e selecionados pelos alunos. Que autores seus alunos poderiam citar como representativos de sua região natal? O que teriam em comum? Quais as justificativas para as escolhas?

Dica 3

As movimentações populacionais no nosso país acontecem de formas diferentes no tempo e no espaço. Vários autores mostraram essas diferenças em suas obras. O sertão mineiro descrito por Guimarães Rosa é diferente do nordestino, que aparece na obra de Ariano Suassuna, por exemplo. Essas diferenças evidenciam as diversas identidades encontradas no país, que podem ser destacadas no ensino de geografia, história e/ou literatura. Identificar e ressaltar essas representações na literatura brasileira ampliará o
repertório histórico-cultural dos alunos. Outra boa idéia é aproveitar o tema e trabalhar questões associadas a diferentes identidades e preconceitos.

Dica 4

Divida a turma em grupos e promova um jogo. Selecione alguns trechos literários que descrevam paisagens e desafie seus alunos a relacionarem corretamente a localidade descrita com a localização no mapa.
Para incrementar a atividade, cada grupo pode ter duas chances de acerto: uma relacionada diretamente ao trecho, conforme já descrito, e outra em relação ao autor do texto escolhido. Será que os alunos conhecem a região natal ou de trabalho de alguns autores clássicos da nossa literatura?
Textos de Érico Veríssimo, Cora Coralina, Jorge Amado, Aluísio de Azevedo, Caio Fernando Abreu são bem ricos para esta atividade.

Dica 5

As especificidades da região onde a escola está situada devem fazer parte do currículo escolar. A atividade que envolve aspectos culturais de uma região reforça o processo de ensino-aprendizagem e valoriza a localidade, além de desenvolver no aluno vínculos com os costumes da sua gente, da sua terra.
Procure textos de autores da região que abordem temas como gastronomia, danças, trajes, festas típicas, linguajar, geografia etc.
Os próprios alunos podem ajudar nesta pesquisa, indicando parentes, vizinhos ou conhecidos.

Dica 6

O ensino de geografia, a partir da utilização da arte e dos valores que cada indivíduo traz consigo, deve contribuir para a constituição da identidade de cada um.
A literatura de cordel pode atuar como instrumento de ligação com a comunidade no exercício de sua função sociocultural e inovar as aulas de geografia.
Cada grupo de alunos poderá elaborar seus próprios folhetos de cordel, retratando lendas urbanas, acontecimentos atuais ou até mesmo histórias pessoais. Se houver possibilidade de ter o auxílio do professor de música, de cantores populares de rua ou de bandas e grupos musicais locais, os alunos poderão ser estimulados a compor canções para acompanhar a escrita registrada.
Segundo Ariano Suassuna, um estudioso do assunto, a literatura de cordel pode ser classificada segundo os seguintes ciclos: heróico, maravilhoso, religioso ou moral, satírico e histórico.
Vale destacar que a literatura de cordel não existe apenas no Brasil mas também na Itália, na Espanha, no México e em Portugal.

Referências bibliográficas
  • SANTUCCI, J. “Geografia e literatura”.
  • SEEMAN, J. “Geografia, geograficidade e a poética do espaço: Patativa do Assaré e as paisagens da região do Cariri (Ceará)”.

Fonte: Revista Nós da Escola – Coleção Gira Mundo nº6- – 2008

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *