Inclusão na prática – respeitando a diferença

O impossível pode ser possível!

Ana Cristina de L. Ferreira (gosta de ser reconhecida como Ana Cris Ferreira) tem 54 anos de idade, é cadeirante e tetraplégica. Sua deficiência é mais conhecida como Paralisia Cerebral. Ela tem uma mobilidade que não permite um controle completo dos movimentos e sua voz é um pouco destorcida. Porém, se define como uma pessoa muito feliz!  É Graduada em Pedagogia, Pós-Graduada em Psicopedagogia e escritora de 4 livros. Ana Cris conta que na época do seu nascimento, deficiente, era considerado um “ET.”, principalmente aqueles com Paralisia Cerebral. Os movimentos involuntários fazem com que as pessoas confundam com Deficiência Intelectual. Enfatiza:

“Já sempre percebi a diferença de tratamento das outras pessoas.”

Seu primeiro livro “AnAlfaBeta”,  foi escrito na antiga máquina de escrever elétrica, usando a língua. Isto mesmo: batendo a língua nas teclas. Por que este título “Analfabeta”  ? Terminando o Ensino Médio, já maior de 18 anos, ao requerer o documento da identidade, no local da assinatura, veio carimbado “ANALFABETA”. Tempo depois, realizou-se a mudança para: IMPOSSIBILITADA DE ASSINAR.

Com o avanço da tecnologia, tornou-se mais fácil para ela continuar escrevendo. Foi então, que adquiriu um computador. Surgiu, assim, o 2°livro “Transformação”, em que narra sua luta incessante, concentrada num ponto: ser uma pessoa. Faz cursos, dar cursos, aprendeu a aprender. Está sempre se atualizando.  Quinze anos após a formação no curso de magistério seu advogado conseguiu no conselho estadual de educação que embora, aparentemente imobilizada na sua cadeira e com a sua voz engasgada, era mais apta a exercer a sua profissão. Sempre militando em diversas cruzadas…

Já Pedagoga com a sua monografia procurou explicar que um indivíduo com Lesão Cerebral (Paralisia Cerebral), independente da sua sequela, pode ser dentro do possível,uma pessoa cognitivamente normal.Apenas precisa se trabalhar seus estímulos valorizando por menor que sejam seus movimentos que podem tornar-se sinais para sua comunicação. Seu processo cognitivo é trabalhoso, mas o final é brilhante!!! Se bem que não há final. O processo de aprendizado é constante e eterno! Por essa razão o nome do 3° livro é: “Lesão Cerebral (Superando os Obstáculos do Dia a Dia)”. Envolvida com palestras, conscientizando as pessoas de todas as áreas que os deficientes com sequela de Lesão Cerebral (Paralisia Cerebral), são dentro do possível normal, cognitivamente por ser discriminada, quer cada vez mais se especializar.

Ana Cris conviveu com colegas com sequela de Paralisia Cerebral. Cada caso é um! Atente para sua fala:


“Sempre desejei ser porta voz, para esses colegas com sequela de Paralisia Cerebral. Porque muitos não conseguem verbalizar.”

Ana Cris ministra palestras e demonstra aos profissionais de diversas áreas, pais, educadores, cuidadores o poder da superação e principalmente…

Que todos têm o seu potencial!

Com a experiência e história de vida de Ana Cris colocamos em evidência questões relacionadas a inclusão.
O direito à educação não significa somente acesso a ela, como também, que essa seja de qualidade e garanta que os alunos aprendam. O direito à educação é também direito a aprender e a desenvolver-se. Para que isso seja possível é fundamental assegurar a igualdade de oportunidades, proporcionando a cada um o que necessita, em função de suas características e necessidade individuais.

Conheça o seu 4º livro: INCLUSÃO NA PRÁTICA – RESPEITANDO A DIFERENÇA .

Apesar de parecer impossível trabalhar a parte educacional com uma criança ou um adolescente que tenha Lesão Cerebral (Paralisia Cerebral), a minha vida, descrita neste conteúdo, mostra que a invalidez aparente pode ser uma grande causa de muitos deficientes não terem sido trabalhado há 20, 30 ou 40 anos. Então, meus leitores, não deixem de ler minha obra que vocês compreenderão melhor o que estas pessoas podem oferecer.

Este livro tem como finalidade esclarecer com palavras simples, diretas e objetivas aos profissionais das áreas de educação e saúde, também as famílias de pessoas com Lesão Cerebral, por meio da minha experiência de vida e de formação profissional. Se nós tivermos oportunidades, sensibilidades e acessibilidades, poderemos ter uma vida, na medida do possível, dentro do normal.

 

Leve Ana Cris Ferreira para palestrar em sua instituição ou evento.



Adquira seus livros e contrate a autora através do e-mail: anacris.lferreira@gmail.com
“Parece impossível pode ser possível.”
Pedagoga, Psicopedagogia, Palestrante e escritora.
Cel: (21)99852-6797 (vivo) ou (21)98709-0925 (oi)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *