Dinâmicas para Produção Textual

A letra da Frase

Faixa-etária: Atividade mais apropriada para crianças de 9 a 12 anos

Material Necessário: Nenhum

Objetivos:

  • Integrar o grupo;
  • Estimular a imaginação e a observação;
  • Ampliar o vocabulário;
  • Desenvolver a percepção auditiva;
  • Produzir frases e pequenos textos coerentes e significativos.

Desenvolvimento:

Os alunos podem estar dispostos da maneira que quiserem, a primeira criança deverá falar uma letra em voz alta para que todos possam escutar, os demais terão 3 minutos para elaborar uma frase que contenha o maior número de palavras que comecem com a letra determinada. Por exemplo se a letra determinada fosse “M”: Maria e Mário mancharam muitas malhas de Marcelo, mas, Marcelo mostrou-se muito maleável.

Ganhará a criança que fizer a maior frase. Essa brincadeira é muito divertida. Depois de brincar a atividade pode ser sistematizada por escrito através de diferentes produções textuais.

Brincando com Provérbios

Provérbios, quem não os conhece? Essas expressões tão peculiares à cultura das famílias são desde cedo aprendidas como um legado que herdamos de gerações anteriores (as avós costumam ser mestres no assunto) e que nos cabe passar adiante. Mas podemos brincar com eles, não podemos? Essa atividade vai mostrar que o uso de provérbios na aula de Língua Portuguesa pode proporcionar momentos de reflexão… e de criatividade!

Peça aos alunos que pesquisem provérbios entre suas famílias, com amigos, parentes, em livros ou na internet. É importante que, na pesquisa, tenham conhecimento das situações de uso desses provérbios e também apresentem um estudo da sua forma. Poderá ser analisada, por exemplo, a estrutura binária dos provérbios (dê-lhes o tempo necessário).

Faça o inventário do material pesquisado. (Será interessante que a seleção final deste material seja reproduzida para todos.) Convide então os alunos a brincar com os provérbios, construindo novos significados, a partir da substituição de uma das partes.

Exemplos:

a) Água mole em pedra dura, tanto bate, que encharca tudo.

b) Quem ri por último, não entendeu a piada.

c) A pressa é amiga do avião.

d) É melhor um pássaro na mão do que na boca de um cão.

Sugestão: Peça aos alunos que ilustrem os provérbios – “novos” ou antigos – e exponha esse material.

Palavra Importante

Objetivos:

Socializar, mantendo a união do grupo proporcionando condutas de boa convivência; Observar características de personalidade de cada aluno para maior conhecimento do grupo com o qual vai trabalhar, dando espaço para expressarem seus sentimentos; Estimular o gosto e prazer pelas aulas de Língua Portuguesa dando continuidade ao trabalho com a nova proposta; Estimular o raciocínio lógico partindo de suas preferências e sentimentos; Estabelecer relações entre a vida cotidiana, a fala e a produção escrita; Confrontar diferentes abordagens com um mesmo tema; Produzir textos que sejam significativos.

Desenvolvimento:

  • Proponha aos alunos que pensem numa palavra muito importante para eles, uma palavra que gostam muito, que gostam de ouvir, de falar, de escrever, enfim, a palavra preferida.
  • Depois de eleita a palavra esta deve ser escrita por cada um, em letras grandes, no centro de um papel almaço duplo.
  • O professor – dinamizador deve propor que durante um tempo determinado cada um registre em forma de diagrama o maior número de palavras que mantenham relações de sentido com a palavra central.

Exemplo:

Beijo namorado família

Saudade Amor coração

Carinho trabalho paixão

Num segundo momento, com os alunos sentados em círculo, para que o clima fique informal, todos devem apresentar suas palavras centrais, preferidas.

Constatar os alunos que elegeram a mesma palavra central e as demais que mantém relação com a mesma. Fazê-los observar se com a mesma palavra central os alunos possam ter escritos palavras diferentes relacionadas. Provocar para que em cada caso os alunos dêem exemplos de outras palavras que possam estar relacionadas com a central. Indagar se todas realmente são relacionadas a central, e porque as são.

No final da apresentação várias palavras centrais e outras relacionadas a elas terão surgido, e através delas o professor deverá levar os alunos a perceberem

A importância da escrita nas relações entre a vida cotidiana, a fala e a produção escrita; suas preferências e seus sentimentos.
A culminância da atividade é a produção de um texto individual onde todas as palavras relacionadas e a preferida devem constar. É interessante deixar os alunos livres para escrever uma composição, um poema, uma história…

O intuito é que os alunos tenham ânimo em escrever, caso seja atingido o interesse e engajamento esperado sairão belas produções textuais.

Ideias:

  • Podem ser corrigidas todas as composições num segundo dia, juntamente com os alunos, registrando-as, uma a uma no quadro e analisando as formas corretas ou incorretas gramaticais e ortográficas.
  • Após todas as composições corrigidas e rescritas montar um livro da turma, com capa, ilustrações e onde constem todas as produções textuais. O livro pode ser xerocado e divulgado na escola e para os responsáveis.
Quebra-gelo

Objetivos:

  • Socializar;
  • Observar características de personalidade de cada aluno para maior conhecimento do grupo com o qual vai trabalhar;
  • Estimular o gosto e prazer pelas aulas de Língua Portuguesa iniciando o trabalho com a nova proposta;
  • Estimular o raciocínio lógico partindo de situações reais as quais expressarão sentimentos;
  • Estabelecer relações entre a vida cotidiana, a fala e a produção escrita;
  • Confrontar diferentes abordagens com um mesmo tema;
  • Produzir textos que sejam significativos.

Desenvolvimento:

O professor – dinamizador da atividade oferece uma frase para cada aluno e propõe que completem por escrito procurando expressar seus verdadeiros sentimentos, idéias e opiniões.

Exemplos de frases interessantes para serem completadas:

  • Caminho sozinho pelas ruas da cidade, olho em volta e observo que…
  • Hoje eu queria apenas…
  • É muito difícil nos dias de hoje…
  • Depois de um dia cansativo eu gosto de…
  • Ah! Como eu gostaria de…
  • Meu dia fica completo quando eu…
  • Quando estou triste, gosto de…
  • Neste momento a primeira sensação que tenho é…
  • Quando estou em paz comigo mesmo gosto de…
  • Como eu gostaria de reviver o dia…
  • Dias felizes são aqueles em que eu acordo e…
  • O meu maior sonho é…
  • A minha felicidade eu gostaria de dividir…
  • Minha maior alegria é…
  • Quando estou cansado e quero sair da rotina eu…
  • Eu me sinto completamente feliz quando…
  • Quando eu cheguei a esta sala o detalhe que mais me chamou a atenção foi…
  • Nesta cidade a gente passa, a gente olha, a gente…
  • Quando abro a janela do meu quarto eu vejo…
  • Se o tempo voltasse atrás eu gostaria…

Num segundo momento, após todos terem completado suas frases, de preferência com a turma sentada em círculo, para que torne o clima mais propício e um ambiente mais informal, propor que leiam a frase já completa.

Após todos terem apresentado suas frases é interessante debater sobre cada uma delas provocando os alunos a darem suas opiniões e expressarem seus sentimentos, indagando:

_ Alguém faria o mesmo?

_ Quem faria diferente?

_ O que?

_ Qual frase mais achou legal?

_ Você a completaria assim?

_ Foi difícil a tarefa? Entre inúmeras perguntas…

O professor pode aumentar ou diminuir as perguntas e o debate de acordo com o interesse da turma e o tempo disponível.A terceira etapa é mais individual todos devem completar todas as frases, lembrando ao professor que deve frisar a importância de colocar sua verdadeira opinião, o que passou exatamente em sua mente ao ler o início da frase.A partir desta atividade os alunos perceberão que a escrita nada mais é que uma forma de registrar para posteridade e para que outras pessoas possam ter acesso, seus pensamentos, idéias, falas, sentimentos.

O professor pode corrigir gramaticalmente e ortograficamente, juntamente com os alunos, cada frase caso sinta que há necessidade e que permanece o interesse pela atividade.

Interessante: Caso haja o engajamento e interesse esperado por parte dos alunos, pode ser elaborado um texto coletivo, onde o professor através das falas, opiniões dos alunos vai reproduzindo por escrito em um cartaz ou no próprio quadro, orientando sempre, procurando usar idéias e frases de todos, um texto maior: Uma Composição ou Redação propriamente dita.

Neste caso, os alunos se interessam pois quem escreve é o professor mas são eles que produzem a idéia do texto, evita a preguiça de elaborar sua composição pois a está fazendo em grupo, falando e de maneira mais informal.

Com as devidas orientações do professor, ao término todos os alunos serão autores do texto, e certamente, será gratificante e natural que todos desejem copiar o resultado final.

Durante todas estas etapas o professor terá inúmeras chances de trabalhar ortografia e gramática, sem que os alunos sintam uma simples transmissão ou “decoreba” de conhecimentos. Cabe ao professor – dinamizador da atividade saber conduzi-la para que seja útil e proveitosa. O professor será o facilitador de todo um processo de ensino – aprendizagem da Língua Materna e não um mero transmissor.

Será, sem dúvida, uma experiência agradável, diferente e prazerosa para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *