Copa do Mundo na Educação Infantil

O evento mais esperado do país mobiliza adultos e crianças, é extremamente divulgado pela mídia, sendo assim um tema significativo e empolgante que, sem dúvida, deve ser abordado na escola.

O tema oportuniza um rico trabalho de respeito às diferenças já que através dele o aluno adquire conhecimentos contextualizados, interage com o meio em que vive através de diferentes linguagens.

É fundamental que as crianças percebam que há regras e limites para o sucesso e prosperidade de um “time” e reconheçam os valores positivos e negativos.

Desenvolvendo um projeto sobre a Copa o(a) professor(a) precisa priorizar tais valores: o respeito mútuo, a cooperação, as regras de convivência, não só em sala de aula, mas em toda comunidade escolar e porque não estendê-las em todos os momentos de nossas vidas.

 Sugestões de Atividades

– Sondagem do conhecimento prévio dos alunos – permitir numa “roda de conversas” que as crianças expressem suas ideias, dúvidas, relatem experiências. É a partir de seu conhecimento prévio, que o aprendiz vai se movimentar, interagir com o desconhecido, ou com novas situações, para se apropriar do novo conhecimento.

– Propor uma partida de futebol – na prática as crianças compreenderão que para o jogo acontecer existem regras a serem cumpridas.

– Após a partida voltar a conversar sobre as regras, enfatizando que uma pessoa sozinha não consegue ganhar o jogo e que é necessário entrosamento do time e respeito pelos adversários.

– Propor uma pesquisa – todos devem levar para sala de aula materiais a respeito da Copa – aproveitar recortes de jornais, revistas, reportagens diversas para montar um painel. Conversar sobre cada elemento pesquisado antes de expor, fazendo a leitura das imagens e textos, valorizando também o empenho do aluno em buscar as informações.

– Explicar que outros países participarão do evento. A criança na faixa de 2 a 5 anos não tem formada a concepção de país – estado – cidade – bairro, está centrada no mundo ao seu redor e tem dificuldade em compreender tais conceitos. Logo, deve-se tratar do assunto de forma lúdica, através de bonecos ou história, todavia é importante utilizar as nomeclaturas corretas e até apresentar o globo terrestre, mapa mundi, bandeiras dos diferentes países e curiosidades sobre os mesmos. Caso alguma criança já tenha viajado para outro(s) país(es) aproveite a oportunidade para que ela relate a experiência e mostre fotos.

– Valorizar o nosso país e nossa cultura aproveitando que as crianças estão no processo de formação da sua identidade. Como é a nossa bandeira? Quantas vezes o Brasil já participou de Copas? Em quantas foi campeão? O que sabemos sobre o nosso país?

– Monte bandeiras brasileiras de papel para ornamentar a sala: em móbiles, painéis e crachás.

– Certamente os alunos levarão para escola conhecimentos relacionados com times regionais preferidos de suas famílias. Aproveitar para explicar que os melhores jogadores de cada time são integrantes do time brasileiro e, então, passam a jogar juntos deixando de ser adversários. Sempre abordando o respeito pela preferência do outro e as noções de vencer ou perder – deve-se sempre mostrar às crianças que não é possível ganhar sempre e que perder não desvaloriza ninguém.

Linguagem oral e escrita

Aproveitar a oportunidade para trabalhar listagens diversas: nomes de jogadores, dos países que participarão da Copa, do que é necessário para realização de uma partida de futebol, de times regionais, etc. Com as listas explorar escrita espontânea, letras iniciais, número de letras, letras maiúsculas e minúsculas, etc.

Esquema corporal

Brincar de chute a gol dando oportunidade para todos participarem em ambos papeis: de goleiro e atacante, variando a atividade colocando a criança em posições variadas e aumentando e diminuindo a proximidade.

Artes plásticas

Confeccionar bandeiras em alto relevo utilizando técnicas variadas de recorte e colagem como: formas de docinhos, bolinhas de crepom, etc. Podem ser confeccionadas também viseiras, faixas de cabelo, pulseiras e camisetas para as crianças vestirem e torcerem pelo Brasil nos dias dos jogos.

Mascote

Toda Copa tem uma mascote. A proposta é além de apresentar a mascote oficial da Copa confeccionar uma mascote da turma. A boneca pode ser feita com sucata. É fundamental que depois a mascote ganhe vida – com a orientação do(a) professor(a) os alunos deverão nomeá-lo (se necessário realizar uma votação para escolha do melhor nome) e listar suas características de personalidade e caráter: O que ele gosta? O que detesta? Onde vive? Mora com quem? Quantos anos têm?

Pode-se, ainda, criar uma linha de tempo com as histórias das Copas onde além do ano e do país vencedor tenha a figura das respectivas mascotes.


 “Projeto Copa do Mundo” 

Para mais dicas adquira a sua!


Paty Fonte (Patricia Lopes da Fonte)

Educadora especialista em pedagogia de projetos, escritora, autora dos livros “Projetos Pedagógicos Dinâmicos: a paixão de educar e o desafio de inovar” e “Pedagogia de Projetos – Ano letivo sem mesmice”, ambos publicados pela editora WAK; autora e tutora de cursos presenciais e on-line de educação continuada a docentes, coach, palestrante.

Idealizadora e diretora dos sites: www.projetospedagogicosdinamicos.com e www.cursosppd.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *