Brincadeiras e Jogos Típicos do Brasil

BARREIRA

Materiais:

  • Quadra
  • 2 equipes de alunos.

Como Brincar:

  • O professor leva os alunos para a quadra e os divide em duas equipes. Cada equipe escolhe um aluno para ser o prisioneiro, que deverá ficar sobre a linha de fundo, de frente para a equipe.
  • Na quadra, sobre a linha central delimitada, as equipes ficam de mãos dadas, com os corpos bem unidos formando uma barreira, e se colocam de costas, uma para outra.
  • Quando o professor disser: “Barreira!” – o prisioneiro de cada equipe tentará de todas as maneiras passar pela barreira que o impede de um lado para outro para que ele não possa chegar até sua equipe. Vencerá a equipe cujo prisioneiro conseguir ultrapassar a barreira.

Idade Adequada: A partir de 9 anos

Objetivos psicomotores e psicopedagógicos da atividade:

  • Resistência muscular.
  • Socialização.
  • Percepção corporal.
  • Trabalho em equipe.

BATE LATA

Materiais:

  • 1 lata
  • Recurso humano (não precisa ter uma quantia certa).

Como Brincar: Primeiro é escolhido uma pessoa para jogar a lata e outra para buscá-la. O que foi buscar a lata tem que tapar os olhos e contar até 10. Enquanto ele está com os olhos tapados, as crianças se escondem. Então, ela pega a lata, coloca num lugar e sai a procurar as crianças. A medida que o primeiro vai encontrando, é necessário correr, bater na lata e dizer o nome do amigo que ele achou: “Geraldo da lata 1, 2, 3.”. O primeiro a ser encontrado é que vai buscar a lata na próxima rodada. E se o que estiver escondido conseguir chegar na lata primeiro que o que está procurando, pode bater a lata e dizer: “Salve todos as mães de lata 1, 2, 3”.

Idade Adequada: A partir de 7 anos

Objetivos psicomotores e psicopedagógicos da atividade:

  • Atenção e concentração.
  • Tonicidade corporal.
  • Movimento e ritmo.
  • Antecipação de estratégia.
  • Percepção visual e auditiva.

BOLA NOS PNEUS

Material: Quadra de esportes.

Como Brincar:

  • Na quadra, os alunos são divididos em duas equipes. Cada equipe se coloca em fila numa das extremidades da quadra. A 1 m (metro) da linha central, o professor espalha 6 pneus deitados.
  • O círculo central da quadra será o ponto de partida. Ao primeiro de cada fileira o professor entrega uma bola.
  • Ao sinal do professor, o primeiro aluno de cada equipe sorteada para dar início à brincadeira sai “quicando” a bola, duas vezes fora do pneu e uma vez dentro, até o último pneu. Feito isso, entrega a bola ao primeiro aluno da equipe adversária que fará o mesmo percurso. O aluno que não deixa a bola cair, marcará 1 ponto para a sua equipe. Será vencedora a equipe que alcançar o maior número de pontos.

Idade Adequada: A partir dos 6 anos

Objetivos psicomotores e psicopedagógicos da atividade:

  • Coordenação motora.
  • Concentração.
  • Socialização.
  • Trabalhar em equipe

CABECINHA

Materiais:

  • Recurso humano.
  • Bolinha de gude.

Como Brincar:

  • Faz-se no chão um desenho assim: Exemplo: Se forem 5 participantes, deve haver 5 lugares para se colocar as bolinhas. Se forem 4 participantes, 4 lugares.
  • Para dar início ao jogo deve-se fazer um traço no chão, quem atingir o mais próximo do traço com a bolinha, dá início ao jogo.
  • Cada participante coloca uma bolinha no desenho da “cabecinha”.
  • O objetivo é acertar a bolinha que está no círculo, pois assim ganhará todas as bolinhas. Se acertar a segunda bolinha, ganhará as que estiverem atrás dela, e assim sucessivamente.

Idade Adequada: A partir de 5 anos.

Objetivos psicomotores e psicopedagógicos da atividade:

  • Coordenação motora.
  • Atenção e concentração.
  • Raciocínio lógico.
  • Dominância espacial.

Resultado de uma pesquisa feita pelo Prof. Geraldo Peçanha de Almeida sobre jogos tradicionais no Brasil – todos para crianças de até 12 anos – mais de 100 jogos com descrição didática, materiais, idade adequada e procedimento psicomotores. Faça download gratuito aqui!


Professor Dr. Geraldo Peçanha de Almeida – Atualmente é Presidente do Conselho Editorial da PRÓ-INFANTI EDITORA e professor da UFPR: Universidade Federal do Paraná. Foi professor de educação infantil, das séries iniciais e do ensino médio. É palestrante em todo o Brasil. Consultor em educação em 58 municípios do Paraná, São Paulo e Mato Grosso. Membro da comissão científica da Sociedade Brasileira de Psicomotricidade e Diretor do Instituto Educa Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *