A atuação do Pedagogo na Equoterapia

A Equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de Saúde, Educação e Equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência (ANDE, 1999).

Como ponto de partida, a premissa de que uma educação voltada para inclusão, deve ser de qualidade e ofertada para todos, a nossa equipe enfoca a aprendizagem, respeitando o sujeito como um todo. Neste trabalho em particular, apresenta-se à ação, junto aos profissionais da área da saúde e educação, priorizando nos atendimentos, estímulos através de atividades lúdicas de cunho pedagógico e terapêutico, respeitando as limitações de cada praticante¹, para poder obter um melhor resultado e promover a credibilidade diante da educação inclusiva. Nesse sentido, a atuação do pedagogo nos centros de equoterapia em atendimento às pessoas com deficiências em ambiente não escolar, se torna cada dia mais necessário e de grande importância, tendo como objetivo, inovar uma metodologia inclusiva facilitando os meios de aprendizagens em todos os aspectos desde o emocional ao social.

A pedagogia de modo geral é relacionada com questões universais e globais da investigação e da ação sobre a educação. E nesse sentido faz-se entender, para que o ser humano venha adquirir algum conhecimento é preciso está inserido no mundo em que vivemos. É natural que o educador escolar utilize várias estratégias para que seu aluno tenha conhecimento do assunto abordado, que seja através de quadros, pilotos e papéis, slides, entre outros, que prendam a atenção do aluno e o professor consiga o objetivo desejado.

Na “equo” como carinhosamente chamamos o nosso ambiente, a nossa principal ferramenta é o cavalo. Onde é desenvolvido todo o procedimento de aprendizagem, sendo inciado com o acolhimento entre os terapeutas e a aproximação do animal. Nesse momento, é trabalhado as questões de imagem e esquema corporal, identificação, familiarização com o ambiente , comparação de tamanhos e formas, texturas, cheiros e odores, o estímulo da linguagem e outros aspectos. Durante a montaria, é planejado de acordo com cada patologia, atividades que desenvolva a motricidade ampla e fina do praticante, tendo como a primeira atividade a organização do equilíbrio postural, que é um fator de grande importância na concentração e no momento de realizar as atividades, unindo sempre o útil ao agradável através do brincar.

Brincamos de aprender com os jogos lúdicos que estimulam a cognição, o faz-de-conta, a contação de história com livros ou fantoches, músicas, brincadeiras com areia, água, para os experimentos sensoriais, etc. E ao mesmo tempo trabalhamos os movimentos de dissociação de cintura, extensão de joelhos, entre outros movimentos, explorando a lateralidade, a noção espacial, a noção temporal e rítmica através dos estímulos que o cavalo favorece com o seu movimento tridimensional, no qual, é semelhante ao movimento da marcha do ser humano. Para finalização do atendimento, o cavalo é desencilhado e alimentado pelo praticante com ajuda dos terapeutas, trabalhando também a ideia de ordem: início, meio e fim do atendimento, a organização e responsabilidade em guardar os objetos e os variados tipos de alimentação entro o ser humano e o animal.

O atendimento transdisciplinar articulado ao contato com o animal, dentro de um contexto de atividades significativas, estimula seus aspectos sensoriais e favorece o desenvolvimento da autonomia do praticante, bem como sua auto-estima, linguagem e aprendizado.

As crianças são encaminhadas aos atendimentos com equoterapia a partir dos dois anos de idade, geralmente pelo neuropediatra ou indicações particulares. Utilizamos o programa da hipoterapia devido a demanda da nossa clientela em atingir um publico de Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGDs), principalmente autismo, sequelados neurológicos, deficientes visuais e variadas síndromes e nesse sentido temos toda a atenção na escolha do cavalo e da vestimenta adequada para cada praticante de acordo com a patologia dos mesmos.

O Centro de Equoterapia do Rio Grande do Norte (CERN), é pioneiro no estado do RN e desde 2002 vem realizando esses atendimentos. Fica situado na cidade de Parnamirim/RN, na região metropolitana da cidade de Natal. Formado por uma equipe multidisciplinar composto por: uma Psicologa, uma Pedagoga /Esp. Psicomotricidade, duas Terapeutas Ocupacionais, um Fisioterapeuta, uma Fonoaudióloga (diretora administrativa) e um Auxiliar Guia, com uma proposta de trabalho transdisciplinar em que todos estão envolvidos com um mesmo objetivo, em que o olhar dos terapeutas se torna a extensão do acolhimento que é feito no primeiro contato com a família e com o praticante.

¹praticante: *Termo usado às pessoas que frequentam centros de equoterapia.


Aline Tavares Nogueira – Graduada em Pedagogia Licenciatura pela Universidade Estadual Vale do Acaraú/CE, Especialista em Psicomotricidade Clínica e Institucional -Universidade Potiguar/RN, Curso Básico de Equoterapia – ANDE-BRASIL/João Pessoa-PB, Curso de Integração Sensorial nível I- Natal/RN

E-mail : alinetnogueira@hotmail.com

Telefones: (84)8822-1859/ (84)9688-6184

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *